O que é Endoscopia Digestiva?

Basicamente, a Endoscopia Digestiva, também chamada de Endoscopia Gástrica Alta, é um exame médico que visa analisar a mucosa presente no esôfago, duodeno e estômago do paciente. Esse procedimento é muito eficiente e feito em clínicas e hospitais.

Quando esse exame costuma ser pedido?

Normalmente, os médicos solicitam esse tipo de exame para pacientes que sofrem com sintomas que sugerem problemas no sistema digestivo. Entre as principais queixas, pode-se destacar: vômito com sangue, azia extrema, falta de apetite ou saciedade, sensação de corpo estranho, dor no abdômen, desconforto fora do normal, dificuldade para digerir ou engolir, perda de peso sem explicação, anemia sem motivo ou náuseas.

Como é feito esse exame?

Esse exame é feito com o auxílio de um endoscópio, que nada mais é do que um tubo flexível que tem em sua ponta um chip com sistema de captura de imagens. Por meio dessa tecnologia, os médicos conseguem visualizar o aparelho digestivo do paciente e analisar os possíveis problemas que podem estar afetando-o.

Como esse exame é invasivo, o paciente precisa estar devidamente medicado para sua realização. Caso contrário, o procedimento não poderia ser realizado com segurança e conforto.

Quem pode realizar esse exame?

Para que esse exame seja feito da forma correta e sem riscos ao paciente, é importante que o procedimento seja direcionado por especialistas, como médicos e enfermeiros treinados. Somente esses profissionais têm as habilidades necessárias e os conhecimentos exigidos para esse tipo de exame.

Qual a importância da Endoscopia Digestiva?

A endoscopia digestiva é um exame muito completo e extremamente eficiente para diagnosticar diferentes doenças, como, por exemplo, gastrite, úlceragástrica, duodenal, refluxo e até hérnia de hiato. O diagnóstico precoce desses problemas pode evitar uma série de desconfortos ao paciente, além de cessar de maneira mais rápida e prática os sintomas apresentados.

Biópsia durante a endoscopia digestiva

Ainda é importante alertar que, se o médico achar necessário, é possível fazer uma biópsia durante esse exame. Normalmente, esse procedimento é realizado para que um órgão seja analisado de maneira mais precisa em um laboratório especializado, podendo diagnosticar de maneira mais precisa determinada doença ou infecção.

É relevante mencionar que, em grande parte dos casos, a biópsia não é realizada. Ela só é feita em caso de necessidade. Tudo depende do quadro apresentado por cada um dos pacientes que está passando pelo exame.

Preparo para fazer endoscopia digestiva

O paciente que vai passar por uma endoscopia digestiva precisa fazer a correta preparação antes do exame. Isso inclui jejum de oito horas, promovendo o esvaziamento completo do estômago, seguir para a clínica com acompanhante adulto, evitar o consumo de bebidas alcoólicas no período de até 12 horas antes do exame e informar sobre todas as medicações de uso contínuo.

A endoscopia digestiva é um exame rápido, com duração de 10 a 15 minutos. O paciente é sedado e deve permanecer em repouso após o exame.

Onde fazer e quem procurar para tirar mais dúvidas?

Para entender melhor sobre esse procedimento ou se consultar com um especialista em problemas intestinais, nada mais indicado do que procurar o ID, Instituto Digestivo. A clínica é focada em problemas gastrointestinais e fica localizada no Rio de Janeiro, com uma unidade em Rio Comprido e outra em Copacabana.

Os pacientes interessados em contatar o instituto, podem acessar diretamente o site oficial do ID, mandar um e-mail ou simplesmente fazer uma ligação e conversar com os atendentes que trabalham na clínica. Quem quiser, também consegue agendar uma consulta de forma online. Lembrando que toda a equipe do ID é devidamente treinada, prezando sempre pela saúde e bem-estar de cada paciente.

O horário de atendimento da clínica é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Entre em contato e saiba mais!

Mitos e verdades sobre a endoscopia

Uma das maneiras mais eficientes de diagnosticar uma doença, esteja ela em estado inicial ou mais avançado, é por meio de exames especializados. Entre os procedimentos mais solicitados pelos médicos está a endoscopia.

A principal função desse exame é verificar se o paciente está com alguma doença em seus órgãos, especialmente no estômago e no esôfago. Ele é feito com o auxílio de uma micro câmera e um tubo devidamente fabricado para essa função.

Normalmente, esse procedimento é solicitado para pacientes que estejam reclamando de incômodos na região do abdômen, náuseas ou sintomas mais específicos, como refluxo.

Mesmo sendo um exame muito conhecido, a endoscopia ainda costuma gerar dúvidas entre os pacientes. Para esclarecer as principais perguntas, listamos os mitos e verdades sobre esse procedimento. Confira:

A endoscopia é um procedimento dolorido?

Mito! Para que esse exame seja realizado, o paciente é medicado e anestesiado. Esse cuidado evita que a pessoa sinta a entrada e a passagem do aparelho em sua boca e, posteriormente, em sua orofaringe.

Normalmente, essa anestesia é feita com o auxílio de um borrifador. Esse procedimento deve ser feito exclusivamente por especialistas, como médicos e outros auxiliares treinados.

Esse exame é muito demorado?

Mito! Em grande parte dos casos, a endoscopia é um procedimento muito rápido e prático. Somente em uma pequena porcentagem dos pacientes, esse exame costuma ser mais demorado e criterioso. O tempo médio para a realização da endoscopia é de apenas 15 minutos.

A endoscopia pode detectar uma doença?

Verdade! Esse exame é usado para diagnosticar diversos problemas de saúde, direcionando corretamente o paciente para um possível tratamento. Tudo depende da situação apresentada por cada um dos pacientes que passa por esse procedimento médico.

O exame impede a respiração do paciente?

Mito! A endoscopia não influencia no sistema respiratório do paciente, ou seja, ele continua respirando normalmente durante a realização do procedimento, sem qualquer problema ou risco.

O paciente precisa de acompanhante para a realização do exame?

Verdade! Assim como já foi mencionado, o paciente é anestesiado para que o tubo da endoscopia seja inserido em seu corpo e, por esse motivo, é importante que ele traga um acompanhante para o procedimento. Essa solicitação visa manter o paciente seguro no trajeto de volta à sua casa depois do exame.

Não é possível dirigir logo após o exame?

Verdade! Logo após o término do procedimento, não é indicado que o paciente dirija, já que ele pode sofrer de alguns pequenos momentos de lapso, o que pode ser extremamente perigoso para a sua integridade ao volante.

É possível se alimentar depois da endoscopia?

Verdade! Quando o paciente se recupera do exame e já apresenta condições de engolir sem dificuldades, ele pode consumir normalmente seus alimentos sem qualquer problema ou risco.

E se o paciente sofrer algum sintoma atípico após o exame?

Vale alertar a todos os pacientes que, caso eles sofram qualquer tipo de sintoma irregular depois da endoscopia, é imprescindível procurar com urgência o médico ou um pronto-socorro. Em grande parte dos casos, o sintoma irá desaparecer de forma espontânea e natural, mas, por via das dúvidas e por segurança, é indicado buscar uma ajuda médica.

Ainda ficou com dúvidas sobre esse procedimento?

Se mesmo depois dessa lista de mitos e verdades, o paciente continuar com dúvidas sobre esse exame, basta contatar uma clínica especializada no procedimento, como o ID, Instituto Digestivo. A clínica é formada por um corpo médico de alta qualidade e muito experiente, além de também possuir uma estrutura diferenciada e equipamentos modernos e tecnológicos.

O ID, clínica de gastroenterologia no Rio de Janeiro, foi pensado para trazer soluções práticas e eficientes para a saúde de todos os pacientes, prezando sempre pela qualidade de vida e pelo bem-estar!

Guia completo sobre a endoscopia

A endoscopia é um exame feito por meio de um tubo que se chama endoscópio. Ele é inserido pela boca e permite ao profissional observar os órgãos do trato digestivo: estômago, esôfago e duodeno. Além de ser um exame para observação, também existe a endoscopia com biópsia mais indicada para pacientes com câncer e gastrite.

A seguir, acompanhe um guia sobre a endoscopia. Conheça como é a preparação, como é realizado o exame, para quais problemas é indicado, e quais as recomendações para depois.

Como a endoscopia é realizada?

Algumas recomendações devem ser seguidas e é indicado o jejum total de 8 horas antes do exame, para que o estômago fique vazio por completo e permita melhor observação. O exame normalmente dura no máximo 30 minutos, é muito seguro e deve ser feito por profissionais capacitados.

O exame é feito após sedação intravenosa do paciente, também pode ser aplicada uma anestesia local na garganta, é opcional ao profissional e paciente, e pode evitar que o procedimento seja doloroso. Após o protetor de boca ser colocado, o endoscópio é introduzido pela boca para capturar imagens em tempo real do estômago, esôfago e duodeno.

Recomendações pós-endoscopia

É indicado que o paciente vá acompanhado para a realização do exame, afinal, o efeito da sedação persiste até um tempo depois, prejudicando a concentração do paciente.

A recomendação é repousar e evitar alimentos que agridam a garganta e o estômago após o exame, pois pode ser que ocorra sensação de inchaço e dificuldade para engolir, que algumas horas depois também tendem a desaparecer. Aumentar a ingestão de água, comer frutas sem acidez e comidas sem tanto tempero também podem ajudar a reduzir os sintomas mais rapidamente.

O resultado sai no mesmo dia, então, se houver restrições alimentares por um período maior, o diagnóstico e tratamento serão iniciados imediatamente.

Quando a endoscopia é indicada?

A alimentação com excessos de gordura, sódio, cafeína ou temperos fortes pode causar incômodos, queimação, dores no estômago, ou até problemas mais graves. Saiba quando a endoscopia é indicada:

  • azia;
  • dor ao engolir;
  • fezes escuras com frequência;
  • sensação de empanzinamento, mesmo quando se come pouco;
  • dor no abdômen;
  • perda de peso sem motivo;
  • náuseas e vômitos frequentes.

Endoscopia terapêutica

A endoscopia terapêutica é realizada em tratamentos como a polipectomia, dilatação de estenoses no esôfago, estômago e duodeno, inserção de sondas e de drenos, retirada de corpos estranhos, inserção de balão intragástrico em pacientes obesos.

Informações extras

Apesar de não haver contraindicações, é recomendado que pessoas que sofrem de problemas cardíacos, respiratórios, e alérgicos a alguma substância, informem previamente ao médico. Em caso de gestantes, o exame só pode ser realizado até o terceiro mês de gravidez ou em casos urgentes.

Procurar um profissional capacitado é muito importante. O Instituto Digestivo, clínica de gastroenterologia no Rio de Janeiro, conta com o exame de endoscopia, entre outros exames e especialidades que envolvem o trato digestivo. Agende sua consulta!

Como se recuperar da endoscopia

Uma alimentação ruim pode causar alguns incômodos como queimação e dores no estômago, mas sintomas como esses também podem estar ligados a questões mais graves que só podem ser identificadas através de exame clínico. O exame para reconhecer a razão desse tipo de incômodo é a endoscopia.

Como a endoscopia é feita?

A endoscopia digestiva alta é feita com um tubo sensível para analisar o esôfago, o estômago e parte do intestino delgado. O paciente é sedado para que seja realizado o procedimento, e passa todo o tempo inconsciente. O sedativo é intravenoso, e também pode ser aplicada anestesia local na garganta, de acordo com a escolha do especialista e do paciente.

O exame é feito após o paciente ficar inconsciente, com um chip que faz as capturas das imagens passando pelo esôfago, estômago e duodeno, e a exibição das imagens é feita em tempo real. O paciente não sente nenhuma dor, mas pode haver pequenos reflexos manifestados posteriormente.

Efeitos e recuperação da endoscopia

Uma vez que o indivíduo é sedado, o ideal é ter companhia para a saída do hospital, pois a concentração fica afetada e o paciente não fica tão hábil devido aos efeitos do sedativo. Após o procedimento, pode ser que ocorra dificuldade para engolir e sensação de inchaço no estômago por causa do ar que é colocado pelo endoscópio.

O ideal para recuperação é manter o repouso, visto que suas habilidades podem ser afetadas por causa dos anestésicos. Dentro de algumas horas os efeitos do sedativo passam completamente e não irão mais interferir nas suas atividades.

Endoscopia no Instituto Digestivo

Para realizar o procedimento, é importante procurar um bom profissional para que tudo ocorra em segurança. No Instituto Digestivo, clínica de gastroenterologia no Rio de Janeiro, localizada em Copacabana e Rio Comprido, tem os melhores especialistas para sua necessidade. Entre em contato conosco e marque uma consulta.

Tudo sobre endoscopia digestiva alta

Muitas pessoas, ao ter algum desconforto no aparelho digestivo, principalmente no estômago, se veem diante da necessidade de realizar um exame chamado endoscopia. Quando ele é indicado, a maioria dos pacientes se vê apreensivo, mas não há nenhum motivo para ter medo. Entenda, a seguir, tudo sobre esse procedimento.

O que é endoscopia

A Endoscopia Digestiva Alta é um exame que serve para verificar as paredes da parte superior do esôfago, estômago e a primeira parte do intestino delgado, chamada de duodeno (aparelho digestivo em geral). Durante o procedimento, o médico observa se há alguma alteração por meio de um tubo fino e flexível, chamado endoscópio, que transmite as imagens em um monitor de vídeo.

Ele é indicado para o diagnóstico de alguns desconfortos abdominais, como dores e náuseas, vômitos, dificuldade para engolir, entre outros. Além disso, a endoscopia digestiva também é usada para realização de biópsias que determinam se lesões são benignas ou malignas, além de servirem para outras finalidades importantes.

Como é feito o exame

O médico aplica um sedativo intravenoso no paciente, além de uma anestesia local na garganta, que pode ou não ser opcional. Isso já garante que o processo não seja doloroso. Depois, coloca-se um protetor de boca que vai facilitar a abertura e não deixar que os dentes atrapalhem o processo.

Quando a medicação faz efeito, o endoscópio é introduzido através do esôfago, no estômago e no duodeno. Ali, o chip captura as imagens que serão transmitidas para uma máquina processadora e exibidas na tela em tempo real.

Quando devo realizar uma endoscopia

O seu gastroenterologista deve solicitar que você faça o exame sempre que apresentar algum desses sintomas:

  • sensação de peso no estômago, mesmo tendo comido pouco;
  • quando houver fezes muito escuras, quase pretas mesmo;
  • náuseas e vômitos frequentes e com sangramento;
  • azia;
  • desconforto e dor no abdômen;
  • dor ao engolir;
  • perda de peso sem motivo aparente.

Outras funções da endoscopia

Além de ajudar a identificar doenças no aparelho digestivo, a endoscopia digestiva alta tem algumas funções terapêuticas. As principais são:

  • inserção de balão intragástrico em pacientes com obesidade;
  • inserção de sondas e de drenos;
  • retirada de corpos estranhos;
  • dilatação de estenoses no esôfago, estômago e duodeno.

Contraindicações e informações importantes

Não existem contraindicações para a endoscopia, mas pessoas com problemas cardíacos, respiratórios, neurológicos e alérgicos a alguma medicação devem avisar previamente ao seu médico. No caso das gestantes, elas podem realizar o exame apenas nos três primeiros meses ou em caso de urgência.

Alguns cuidados precisam ser tomados, como jejum de oito horas e ir com algum acompanhante, por causa do efeito do sedativo.

Também é muito importante procurar um profissional capacitado e que entenda suas necessidades. No Instituto Digestivo, clínica de gastroenterologia no Rio de Janeiro, os pacientes podem realizar a endoscopia, outros exames e especialidades que envolvem o trato digestivo. Marque sua consulta hoje mesmo!